25 de julho de 2011

Passei metade da minha vida a acreditar que bastava amar, bastava confiar, bastava querer. E hoje, agora quedas após quedas, uns degraus mais acima da escalada da vida e já com algumas desilusões incorporadas no interior do meu coração sei que não basta nada. Amar significa tudo no momento em que admitimos perante nós mesmos que existe um outro alguém que importa mais do que nós próprios. Uma mera suposição dá espaço a uma grande realidade. Um desejo dá vida a uma vontade. De uma desconfiança surge um grande passo em frente. Confiar então significa acreditar, e no que toca ao amor quem não acredita não é capaz de amar. Depositarmos a nossa confiança em alguém significa ligar-nos de corpo e alma a essa pessoa, a dar-lhe um bocadinho de nós, e a guardar um bocadinho de si no nosso interior. Então querer passa a significar luta. E quando nós queremos alguma coisa é porque acreditamos nela e de alguma forma a amamos. Queremos ter perto de nós o que nos proporciona segurança e acima de tudo o que nos faz sentir bem connosco próprios. É impressão minha ou no fim de tudo, somos todos uns grandes egoístas no que toca á matéria do amor? 

6 comentários:

  1. "Depositarmos a nossa confiança em alguém significa ligar-nos de corpo e alma a essa pessoa, a dar-lhes um bocadinho de nós, e a guardar um bocadinho de si no nosso interior. " esta lindo beatriz!

    ResponderEliminar
  2. adorei este, está muito bom Beatriz :)

    ResponderEliminar
  3. obrigada, Beatriz. este post está tão sincero, até me fez pensar.

    ResponderEliminar
  4. alguém que me perceba:) e obrigada! adoro os teus textos

    ResponderEliminar