26 de fevereiro de 2012

- Só quero saber se és feliz.
- Sou feliz sou. Mas se me perguntares se é fácil viver escondida de ti, eu digo-te que não, não o é. Se me perguntares se eu me lembro de ti, eu digo-te que sim - já raras vezes mas ainda as existem. Se me perguntares se há coisas que ainda me fazem pensar em ti, tocar-te em alma, em pensamento, eu sim digo-te o que queres ouvir. Sim. Eu apaguei-a de todo o lado, fi-la desaparecer do meio delas todas. E sabes, ontem ao entrar no carro quando liguei o rádio ouvi-a. O meu coração parou, admito. Mas eu ouvi-a até ao fim, suspirei e depois olhei para a janela. Tu já não estás em mim, à muito tempo. Ouvir algo que já não soa à anos nos meus ouvidos, é como tropeçar em ti. Dá choque, mas é só isso. E ontem foi dia disso. Mas eu repito-te: tu já não estás em mim, embora o ainda desejes. Não estás. Ponto. E se me perguntares se o que me deixas dias por dias, na minha caixa de correio mexe comigo eu respondo-te que não. Não, porque não as leio. Não quero voltar a ler-te. Não quero voltar a ler o teu capitulo. Não quero. E se me perguntares de que cor é esta minha felicidade, eu respondo-te que é feita de cores neutras, não muito fortes para não se romper facilmente. Se me perguntares se ela passa por ti, eu digo-te que sim. Passa, mas em caminhos curvos e em círculos confusos, que é o que tu és. Mas tu perguntaste-me se eu o era, não foi? Feliz. Sou, e muito. E eu sei que é o que tu queres para mim, por isso respeita-me. Não voltes a tropeçar em mim, como quem tropeça num tapete esquecido e velho. Não voltes a escrever-me com aquele toque de amor que nos caracterizava. Não voltes. Porque não podes. Respeita os limites que estabelecemos. Recua e dá um passo para trás, só porque podes e eu te peço que o faças. Recua, de mim, de nós, e da vida. E fica ai, pára. Não questiones porquês ao ar, porque eu já tos dei aqui. Sou feliz. É isso o que eu quero para mim. E o que tu também queres, mas escondes. E quando a saudade te pesar, respira três vezes fundo, com antes. Mas só isso. Não venhas na minha direcção, porque não o podes fazer. Eu fico-te a ver, e tu vês-me igualmente seja nos dias frios ou nas manhãs quentes - mas sem nos podermos tocar. Sem nos podermos aquecer. Porque não podemos. Porque não devemos. Porque já não é tempo. Porque já o gastamos. Perguntas-me se sou feliz, não é assim? Sou. Muito.

25 comentários:

  1. As minhas palavras nas tuas palavras. Tanta força que tens. É isso mesmo que temos que fazer... brihante!!

    "Tu já não estás em mim, à muito tempo. Ouvir algo que já não soa à anos nos meus ouvidos, é como tropeçar em ti. Dá choque, mas é só isso."

    ResponderEliminar
  2. e o que interessa é que és feliz

    ResponderEliminar
  3. perfeição, claire. tocou-me na alma.

    ResponderEliminar
  4. continua a ser, mereces o melhor por tudo o que escreves

    ResponderEliminar
  5. Gostei mesmo muito, mas já me tens habituado a uma qualidade de textos muito bons. Mais um que estás de parabéns. Um Beijo :)

    ResponderEliminar
  6. isto podia ser tão escrito por mim...oh

    ResponderEliminar
  7. então se não vale, guarda-o dentro duma gaveta para um dia o recordares. não hoje, não amanhã, porque isso poderá magoar-te. mas talvez daqui a um ano, quem sabe. de maneira a que não te magoe mais.
    oh, obrigada doce.

    sê feliz claire, ainda que te lembres dele, sê feliz e sorri todos os dias

    ResponderEliminar
  8. ainda bem que te libertaste desse peso, digo-te. eu ainda estou a aprender.
    também adoro ler-te, querida claire. és doce, sempre doce.

    ResponderEliminar
  9. o tempo ajudará. muito obrigada pelas palavras doces, claire!

    ResponderEliminar
  10. claro, as coisas boas e que interessam. nao tens que agradecer e oh um amor es tu:')

    ResponderEliminar
  11. É... a vida obriga-nos a ser fortes, às vezes.

    ResponderEliminar
  12. É sempre preciso muita força. gostei do texto.

    ResponderEliminar
  13. Amei este texto :o Está simplesmente brutal. Quando perdemos alguém que amamos e nos conformamos essa pessoa tende a reaparecer mantendo-se vivo nos nossos pensamentos. É nessas alturas, que tal como no teu texto devemos dizer. Sem ti, feliz? Sim. Muito!

    Um beijinho *

    ResponderEliminar
  14. e tu minha claire, tu tens tanto amor para dar e tanta felicidade para te retribuirem... como quando damos uma caixa de chocolates que gostamos muito a alguém só para sorrisos se soltarem ao vento
    vá, sorri-me todos os dias, não deixes de o fazer. és linda assim, a sorrir

    ResponderEliminar
  15. uau, fico sem palavras sempre que cá venho. como podes exprimir tanto sentimento assim? que maravilha de cantinho este *
    e muito obrigada! muito obrigada mesmo e fico feliz de partilharmos a mesma opinião (:

    ResponderEliminar
  16. Ainda bem que somos da mesma opinião então.

    ResponderEliminar