12 de maio de 2012

Nem sempre o céu chama por nós. Nem sempre a lua está tão perto ao ponto de nos beijar a alma. E hoje eu digo-te: ela até pode estar longe, mas eu estou bem perto. E mesmo que a lua não grite o teu nome de madrugada como sinal de me vires buscar, o meu coração grita pelo teu. Ás vezes tu pensas que ele não responde - mas ele fá-lo sempre. E eu sei que esta noite ele não vai parar de o fazer, até ver a tua luz de chegada ao pé da esquina. Sabes, ele só vai parar, quando tu subires as escadas e chegares junto a mim e me disseres: já estou aqui. E aí sim o meu coração encosta-se ao teu, e juntos eles dão as mãos mesmo sem as terem, unem-se mesmo sem se tocarem. Vês? Nada entre nós deixa de ser bom, mesmo que a lua hoje não esteja disposta a chamar por nós.

20 comentários: