28 de novembro de 2012

Senta-te comigo no parapeito da janela e fica a observar como a chuva bate na janela. Imagina aquilo que não consegues imaginar no teu dia-a-dia porque nunca te resta tempo para o fazeres. Agora eu dou-te esse tempo. Olha lá para fora, obversa a forma como o vento entra pelas árvores e a forma como elas se movimentam. Imagina tudo aquilo que sempre quiseste mas nunca tiveste tempo para o fazer. Eu vou querer ouvir essa história, esse segredo que tens guardado dentro de ti. Que eu não sei, que nem sempre sei. E quero saber, quero ouvir-te porque tempo é tudo o que eu tenho para ti. Conta-me aquilo que vês e aquilo que não consegues mas querias ver. São nesses pedaços de ti que eu fico ancorada e perdida como um barco num rio em plena tarde Verão. A observar-te a guardar os bocadinhos que à medida vais dando de ti e eu vou guardando em mim. E depois deixa-me ser eu a contar-te. Um segredo. Porque quero perceber, conseguir dizer, de que somos realmente feitos. E quero que me ouças com atenção como se eu tivesse certezas daquilo que vou dizer. Mas não tenho nem gostava de ter porque o amor é mesmo isto, uma descoberta um do outro que nunca termina. Eu posso desenhar-te um coração nesta folha em branco e pinta-lo da cor que quiseres e dizer-te que o que está lá dentro somos nós - o amor. Posso dar-te a mão e segredar-te um simples: gosto de ti. Há tantas formas para dizer aquilo que sentimos, que as mais simples são as mais bonitas. Quando procuramos muito, quando investigamos muito nunca é espontâneo  E no amor tem obrigatoriamente de o ser. Tens de dizer um gosto de ti, um amo-te, um preciso de ti, um fazes-me falta quando o sentes e quando a outra pessoa não o espera, porque é assim que se formam os momentos - os reais momentos. E tu sabes que é assim, porque é quando não estás à espera que eu te surpreendo. Não é? Shh, fica comigo agora. 

26 comentários:

  1. espero que tenhas razão...
    gosto muito de ler o que escreves <3

    ResponderEliminar
  2. que belo, Claire. E como concordo contigo... amar é mesmo isto, sem tirar nem pôr!

    ResponderEliminar
  3. Oh, seu textos sempre muito me encantam. Adoro como escreves.

    Tem post novo, cá no meu canto.
    http://venenosemacas.blogspot.com.br

    beeijos

    ResponderEliminar
  4. sempre lindo! não há palavras :)

    ResponderEliminar
  5. o quanto gostava de ler estas palavras à pessoa que amo. é tão isto. e esta música.. oh

    ResponderEliminar
  6. Bom é ler-te, bom é nunca perder este encanto que tenho por ti e pelas tuas letras. Bom é ter-te. Beijinhos ♥

    ResponderEliminar
  7. e espero que continues a ler:)

    ResponderEliminar
  8. "Quando procuramos muito, quando investigamos muito nunca é espontâneo E no amor tem obrigatoriamente de o ser. " claire, o génio da escrita

    ResponderEliminar
  9. gostei muito do blog, estou a seguir!

    ResponderEliminar
  10. obrigada fofinha. lembro-me de desde sempre adorar o teu cantinho e ainda mais as tuas palavras. bom é saber que esse "costume" se mantém. sempre maravilhosa, bjs

    ResponderEliminar
  11. isto está sempre lindo por aqui. e os teus textos maravilhosos ! como sempre
    beijinhos claire e adoro a musica ! :))

    ResponderEliminar
  12. adorei os teus textos! continua a escrever tão bem como escreves! :)

    ResponderEliminar
  13. as palavras simples são as mais bonitas para dizer que se gosta

    concordo, o amor não precisa de enfeites, as vezes nem de palavras...

    ResponderEliminar
  14. também gosto, toca-me sempre bastante...

    ResponderEliminar
  15. Princesa, mudei o link do meu blog.
    bloom-inwintertime.blogspot.com

    ResponderEliminar
  16. é fantástico ler isso, saber que alguém aprecia o que sentimos e escrevemos! obrigada pelas doces palavras, e continua... acho-te das melhores, sem nada a acrescentar.

    ResponderEliminar
  17. não conhecia o teu blog, oh mon dieu, o que andei a perder este tempo todo, é lindo. e a forma como escreves, linda, apaixonante sei lá, sem palavras, completamente!

    ResponderEliminar