16 de janeiro de 2013

Sentei-me no banco da cidade, fechei os olhos e por minutos tive-te ao meu lado. A ti, a quem já não tenho a possibilidade de olhar com os meus olhos, a ti a quem já não consigo tocar com os meus próprios dedos, a ti a quem já não consigo segurar com os meus braços. Mas naqueles minutos estavas lá. Como da última vez em que te vi. A sorrir para mim como se fosse um dia de Primavera, e a chuva que caia tivesse sido substituída pelos passarinhos típicos dessa estação. Não quis falar-te com receio de imaginar a tua voz a responder-me, e com isso não conseguir conter as lágrimas. Ainda as tenho em mim, quando me lembro de ti. Mas quero que saibas que já não as deixo cair, como deixei tantas e tantas vezes quando soube que te perdi. A perda tem destas coisas. A tua causou-me um buraco no coração, maior do que todos aqueles que já tive. Daqueles que não têm remendo, sabes? Daqueles que ficam em nós, passem os anos que passarem. Daqueles que vão ficando por baixo de tantos outros novos buracos, mas que são sempre maiores que todos os outros. Daqueles que só ao tocar por relance fazem o coração explodir em mil bocados e desfazer-se em lágrimas. Mas hoje digo-te que quando por minutos te tive do meu lado não senti dor nenhuma a rocar-lhe. Não haviam lágrimas para cair mas sim sorrisos para te dar. Porque sempre te devi isso. Sempre te quis dar mais sorrisos do que aqueles que o tempo me deixou dar-te. E é por isso que te escrevo hoje. Não quero falhar com aquilo que sempre te prometi, e agora eu digo-te aquilo que se calhar não viste. Eu estava a sorrir. Quanto te senti lá, quando me levantei e me despedi de ti e agora que revivo tudo isso nas palavras. Estou a sorrir. E acredito que tu, onde quer que estejas, sorrias só de me imaginar ao fazê-lo. 

18 comentários:

  1. Que texto tão maravilhoso! Fizeste-me sonhar, escreves tão bem. Muita força, és linda.

    ResponderEliminar
  2. Agradeço-te imenso. Passa pelo meu outro blog também, lá publico mais recentemente.

    ResponderEliminar
  3. Não duvides! Eu estou em Ciências Farmacêuticas, 1º ano e tu?

    ResponderEliminar
  4. Em tempos tive Psicologia em consideração até ;) Penso sempre como seria a minha vida se tivesse optado por Humanidades em vez de Ciências...

    ResponderEliminar
  5. és de lisboa, certo? estás a ponderar vir para outra cidade ou ficar por aí?

    ResponderEliminar
  6. Exacto, tenho a ideia de que a média de Ciências da Comunicação é alta, pelo menos aqui no Porto.

    ResponderEliminar
  7. Ainda entre lágrimas, porque as tuas palavras me tocaram bem no coração, te agradeço mais uma vez... Beijos grandes <3

    ResponderEliminar
  8. Adoro! Tens realmente o dom da palavra, beijinho (:

    ResponderEliminar
  9. obrigada, claire :')
    aqui paira sempre muito amor, é por isso que gosto de te visitar.

    ResponderEliminar
  10. "Sempre te quis dar mais sorrisos do que aqueles que o tempo me deixou dar-te."que pensamento tão bonito.. que linda que és

    é sempre saber q gostam de nos ler:)

    ResponderEliminar
  11. está muito bonito*
    foi o que fiz... as palavras são nossas amigas

    ResponderEliminar
  12. sempre te disse e volto a repetir- menina de letras <3 linda linda

    ResponderEliminar
  13. está maravilhoso este texto princesa e não tens que agradecer, eu é que tenho, por esse comentário que me ofereceu um sorriso, obrigada doce

    ResponderEliminar
  14. Obrigada eu, doce, e eu espero muito mas muito que cresça, e que também o vosso cresça... como vai o vosso amor? <3

    ResponderEliminar
  15. E vocês, há quanto tempo? Que o amor e a felicidade reine sempre nos vossos dias. Namoramos há 4 meses, mas o nosso amor é já antigo... já namoramos no passado, mas devido a problemas, viramos costas, apesar dele ter sempre lutado por mim e o amor nunca ter cessado. Passaram cinco anos, estamos juntos outra vez, princesa.

    ResponderEliminar
  16. É mesmo, princesinha, e é tão bom. Que o vosso dure sempre. <3

    ResponderEliminar
  17. Que bonito, minha querida. Está mesmo maravilhoso <3

    ResponderEliminar