9 de abril de 2012


Tens o meu tempo todo estendido na palma tua mão. E este deixa de ser meu para passar a ser nosso. E é quando o agarramos quando sabemos como o colocar no modo pausa que o amor acontece. Que o amor voa por aqui e nos deixa a nós a flutuar nele como se fosse mar em tempo de Verão. Com a minha mão na tua, com o meu coração dentro do teu, e o meu tempo entrelaçado com o teu. E assim ele vai surgindo..Debaixo do tecto do céu ou do chão ele vai nascendo. O nosso tempo. E nós vamos cuidando dele, embora nem sempre saibamos que ele está ali, do nosso lado. Porque o agarramos tantas vezes sem darmos por isso, quase como se fosse um jogo sistemático sem pensar. Com a mesma força que agarramos este amor e o fazemos durar pelos minutos e pelas horas. Como se não houvesse limites e ele pudesse coexistir em mundos paralelos sem se perder no tempo. E tu sabes porque sempre me disseste que fui feita para amar. Para fazer o amor durar. Que o amor que tenho em mim te faz cocegas no coração por transbordar e ser tão demais. Mas sempre bem devagar..para que nem sempre dês por ele mas que este te faça sorrir sem o saberes. E eu vou guardando isso. O tempo que passa e é construído dentro de nós e à nossa volta. O tempo em que me permito a mim ser eterna contigo e ter uma vida de tempo imparável do teu lado. E quero sê-lo sempre tal como também quero o tempo para mim. Para nós. Para ser chamado de nosso. Para o deixarmos repousar quando vivermos e abusarmos dele até ao fim. E que este fim não seja o fim do amor, nem do tempo, ou tão pouco das palavras..mas que seja o fim por não haver mais daí para frente..que seja o fim com a certeza de que se viveu tudo o que havia para viver, com amor, tempo, palavras e se ganhou um ponto, tão alto que se torna inatingível, de felicidade. E só ai sim é o fim.

8 comentários:

  1. O amor e a relação entre um homem e uma mulher constrói-se todos os dias,mas só nós mulheres entendemos do que falo,o lado de lá abstém-se e ignora as emoções e sem "dó" deita tudo a perder.
    mas nem sempre isto é o fim muitas vezes é apenas ...o começo:))))))))Beijinho

    ResponderEliminar
  2. vais? que giro! gostas de Soja? a música do meu blog diz-me muito. gosto mesmo muito dela :')

    ResponderEliminar
  3. ainda bem que sim querida!

    ResponderEliminar
  4. Oh princesa, quando vêem eu só faço asneira atrás de asneira... e quando não vêem eu quero que vejam! Sou um desastre!

    ResponderEliminar
  5. Quando lemos estes textos achamos lindos, mas quando se está apaixonada é que percebe quantas palavras sinceras e cheias de amor que em textos estão. Como eu sei. Por mais palavras que venham nunca explica nada do amor que se esta a sentir e a viver.
    Ps: Gostei muito deste blog , um beijinho.

    ResponderEliminar