18 de outubro de 2014

"aconteça o que acontecer"

Disseste que ias ficar e eu acreditei. Disseste que ias estar cá, mesmo quando não houvesse sol e fosse a chuva a tomar conta dos dias, e eu acreditei. Disseste que sorririas sempre que os meus olhos te mostrassem lágrimas, e eu acreditei. Disseste que me darias sempre a mão, mesmo que eu quisesse ir por caminhos sombrios e desconhecidos, e eu acreditei. Disseste que "aconteça o que acontecer" tu ias estar sempre cá, a sorrir-me, a dar-me a mão e a ir atrás do amor, e eu acreditei. As pessoas têm este hábito de usar a expressão "aconteça o que acontecer" mas não percebem como ela consegue ser tão destrutiva, e principalmente, como nós conseguimos ser destruídos por ela. Porque as pessoas vão embora, e é isto o que nos a ecoar na cabeça. Uma frase que já não faz sentido, porque quem a disse calou a sua voz. Tenho visto e vivido tantas destas histórias de "aconteça o que acontecer" que chego à conclusão que as pessoas não sabem o que dizem. Ou se sabem, não querem mais saber do que disseram nos momentos seguintes. Parece que dizem certas coisas para ficar bem no momento, na ocasião, e depois esquecem-se das palavras como estas se pudessem apagar com uma simples borracha da vida. Afinal de contas fica sempre bem dizer tal coisa, dá um certo aconchego à pessoa que confortam, iludindo-a de que ficam mesmo, aconteça o que acontecer. Mas a verdade é que acontece muita coisa, tudo o que engloba essa tal expressão e as pessoas abandonam o sítio onde prometeram permanecer. Não têm suporte suficiente para conseguir aguentar as adversidades da vida e fogem como se fosse a própria vida a mata-los. É triste já não se ficar por amor - salvo raras excepções que ainda conheço e pintam a minha visão do amor como algo cor-de-rosa, capaz de aconchegar os corações como se fosse um chocolate quente nos frios dias de Inverno. Ainda há quem consiga ficar por mais que tenha motivos para ir. Ainda há quem esteja por ai a sorrir, por mais motivos que tenha para chorar. Ainda há quem dê a mão por mais razões que tenha para a largar. Ainda há quem siga o mesmo caminho que prometeu desde o início e não o abandone a meio. São estas as pessoas que dão vontade de escrever e ler. São estas as histórias de amor que dá vontade de conhecer sempre um pouco mais. Talvez sejam estas as histórias que nos contem o segredo que os fazem permanecer "aconteça o que acontecer". Há muito tempo que essa razão deixou de ser o amor.

6 comentários:

  1. ainda há quem consiga ficar, e eu fico por aqui se me deixares. fico por aqui "aconteça o que acontecer" porque o amor é mesmo isso, é tudo o que acontece para lá do que é suposto. é tudo o que fica para lá das expectativas, doce claire

    ResponderEliminar
  2. e quem sabe se um dia não tomamos um café à beira-tejo doce claire! :)

    ResponderEliminar
  3. manda-me um email teu ou qualquer outro contacto para que possamos falar, sff. o blog onde comentaste nao e so meu e portanto nao e sitio para termos este tipo de conversas. obrigada

    ResponderEliminar